CONTATO

(51) 9 81934117 (WhatsApp)

(51) 9 91333684

SIGA-NOS E ACOMPANHE

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
Logo_Provincial.png

© 2018 Todos os direitos reservados | Ordem dos Frades Menores - Rio Grande do Sul

Escândalos da Fé: Quem escandaliza quem?

Nestes últimos dias vemos uma onda de reações, algumas reflexivas outras até agressivas por conta de um escândalo da fé. Jesus sendo satirizado, avacalhado e colocado como gay de forma pejorativa. Justo que se faça a crítica, assisti posteriormente pequenos trechos do tal programa para entender melhor e também critico e discordo, vergonhoso. Não somos obrigados a nos calar diante do que nos incomoda, já fomos e poderemos voltar a ser, mas neste momento ainda temos esta liberdade. De outro lado é só pensar um pouco que perceberemos o interesse dos programas de polemizar, só deste modo conseguem ibope. O interesse dos programas de massa é justamente provocar, escandalizar. Embora sabemos que não há verdade alguma sendo ilustrada.

Diante disso me pergunto: por que nos escandalizamos com algo sabendo que não podemos esperar coisa melhor de tais meios? Ou por acaso estou enganado e grandes meios de comunicação e os programas televisivos de massa são educadores para a família, os valores e a fé? Sabemos a tempo que os grandes meios de comunicação têm um ponto de vista ideológico, social, político, religioso, cultural, elítico e manipulador.

Você que está lendo deve ter se perguntado, por que atacar Jesus Cristo então, justo Ele? Que sentimento de respeito por Jesus poderíamos esperar de quem não tem nenhum respeito pela humanidade? E mais, os pobres são atacados e mortos todos os dias e não escandalizam mais. Nos acostumamos a entender como ‘mais um’, embora jamais deveria ser assim. Então se eles querem ser vistos, sabem que precisam mexer com algo que nos incomoda e revolta. Não obstante estes meios exercem tanta força e influência em nossas vidas que nos deixamos “informar e formar” mais por estes meios do que por caminhos seguros da nossa espiritualidade cristã.

Nos escandalizaria de igual modo ver “jesus” matando e enxotando os pobres? Ver Jesus sendo machista? Preconceituoso? Racista? Classista? A mim com certeza sim, seria muito escandaloso ver “jesus” agindo assim. Se estamos dispostos a abraçar a fé cristã, precisamos também conhecer muito bem o seu agir e seguir o mesmo modo, mesmo em meio a nossas fragilidades.

Vergonhosamente vejo, pessoalmente e por redes sociais, ‘cristãos’ chamando pobres de vagabundos, vejo cristãos defendendo a morte, desde que não seja da sua família ou seus amigos, por que aí é um cara bom, mas que cometeu um ‘pequeno erro’, vejo cristãos classistas defendendo que uns nasceram para serem ‘empregados escravinhos’ mesmo, pois não sabem trabalhar e não querem estudar, junto a isso vejo cristãos chamando negros e índios de vagabundos, menosprezando e inferiorizando as mulheres e assim poderíamos ir adiante, mas creio que basta para olharmos para dentro de nós também. E mesmo que tenhamos nossos ânimos exaltamos, lembremos sempre: Jesus, mesmo diante da própria morte, pediu que Pedro guardasse sua espada.

Me pergunto ainda: não estariam estes meios de comunicação representando o que agrada outros grupos que se opõe e se escandaliza também diante do ‘nosso’ modo de viver e agir? Por que isso dá ibope? Como os cristãos estão vivendo a fé, não apenas lá dentro da Igreja, seja qual for o seguimento cristão, onde vão com trajes e roupas bonitas e se prostram de joelhos e mãos postas, mas em nossas relações de trabalho, família, amigos? Será que não estão escandalizando também aos outros, justamente por suas incoerências?

Não poucas vezes ouvi a expressão: “Olha o fulano, vai na Igreja, mas não adianta nada” ou então: “lá dentro da Igreja parece um santinho, mas aqui fora é um demônio”. Geralmente pergunto: Se ele/ela não fosse à Igreja será que não seria uma pessoa ainda pior? Me pergunto a mim mesmo: minha fé me faz melhor? E pergunto para a pessoa que está tecendo a crítica: você pode ter uma vida exemplar, viver os bons valores, mas se fosse também à Igreja não poderia ser ainda um pouco melhor?

Outras vezes ouvi de ‘cristãos’ também: “Eu sou assim, nasci assim, vou morrer assim, ninguém me muda” ou então: “A vida é minha eu faço o que eu quero”. Opa, espera aí! que tipo de cristão se é quando não está disposto a permitir que Deus e os irmãos te ajudem a crescer, ou pior ainda, é ingrato a Deus achando de modo muito egoísta que a vida é própria apenas e não um dom de Deus a serviço dos irmãos?

Repito o que disse acima, também me escandalizo e critico a desrespeitosa a satirização feita de Cristo. No entanto, não me iludo com relação ao que esperar destes meios. De outro lado, me escandalizo também com vários outros modos sociais de agir, alguns acima citados que se tornaram aparentemente ‘normais’ no pensamento de alguns ‘cristãos’, mas estranhamente não seguidores de Cristo, pobre, humilde, crucificado pelos homens, mas Ressuscitado por Deus.

Pensemos com carinho, sobre qual alicerce estamos construindo nossa fé, nossa casa, nossa vida, nossas famílias. Estamos todos a caminho, não somos mais que ninguém, a fé nos deve ajudar apenas a sermos melhores do que nós mesmos fomos no dia anterior. Se acaso algum cristão estava fazendo sua preparação para o natal através dos grandes meios de comunicação, talvez seja momento de repensar. Quando estás planejando Celebrar o Natal dentro da programação há um momento de oração, de fé, de encontro com o Verdadeiro Aniversariante, ou se escandalizas na internet e esquece de Jesus no dia de seu nascimento. É certo que nos escandalizemos quando banalizam nossa fé, mas nós mesmos também precisamos honrar ela. Um abençoado e santo advento a todos(as).


Paz e bem,


Frei Rodrigo A. Cichowicz, OFM

5 views