Paróquia de Imigrante resgata antigo modo de evangelizar

Em tempo de pandemia, e muitas restrições para aglomeração, nossas comunidades sofrem com a impossibilidade dos fiéis se reunirem para rezar: algo essencial para o alimento da fé.

Nas paróquias das pequenas cidades do interior as dificuldades são ainda mais significativas, pois em muitas delas, a idade da população ativa na participação das missas vai de encontro com a da população que mais tem restrição para circular: pessoas idosas. Faltando inclusive lideranças para a manutenção das atividades mínimas permitidas pela pandemia.

Diante desta realidade surgiram muitas iniciativas para manter o povo unido e animado como Comunidade de Fé. A maioria das paróquias “estão se reinventando” com atividades e ações muito criativas. Uma destas experiências é a Oração da Ave- Maria na torre da Igreja São João Batista de Imigrante (RS).

Quem passa pelo município em direção a Serra Gaúcha no final da tarde, por volta das 17:20 h, percebe ao se aproximar de Daltro Filho, bairro do município, um clima diferente pelas canções sacras que se escuta de longe vindas da torre da Igreja Matriz.

Diante da realidade pandêmica, Frei Inácio Dellazzeri pároco da Paróquia São João Batista, resgatou um antigo costume de “tempos idos” na evangelização: usar o som da torre da igreja para se comunicar com os fiéis.

A quase um ano Frei Inácio realiza, a partir do som da torre, a hora da Ave Maria. Inicia com músicas que vão tocando e preparando o ambiente para oração. Depois de várias músicas o frei inicia com a “Oração do Angelus” seguida da “Proclamação do Evangelho do dia”. Após o frei realiza uma pequena reflexão e termina com a benção final.

Segundo Frei Inácio ele já tinha esta experiência em rádio quando estava na missão em Roraima. Apenas adaptou a experiência para esta comunicação mais direta. O missionário o retorno das famílias tem sido positivo. Inclusive de reclamações quando, porventura de algum compromisso, o frei não consegue realizar o momento de oração e espiritualidade comunitária.

Como toda cidade do interior por este horário é possível perceber as famílias “chimarreando” nos pátios das casas. Os morros em volta do vilarejo e o Convento São Boaventura ao lado da matriz tornam o ambiente ainda mais convidativo para oração.

Em tempos de muitas ações criativas através das redes sociais, esta de utilizar as cornetas da torre da igreja, privilegia boa parte das pessoas idosas que não tem intimidade com os aparelhos eletrônicos. Ao mesmo tempo nos mostra que não há fronteiras para se redescobrir a maneira de evangelizar em tempos de Covid 19. As vezes basta olhar para o lado, ou para cima, como no caso da torre da Paróquia São João Batista de Imigrante. Paz e Bem!








466 visualizações0 comentário